Luxação Lateral

A luxação lateral é definida como o deslocamento de um dente em uma direção diferente da axial. O dente pode ser deslocado em uma direção labial, lingual ou lateral. Danos ao ligamento periodontal e contusão ou fratura do osso alveolar de suporte podem acompanhar essa lesão. O exame clínico revela um dente que é deslocado em uma direção lateral, palatal ou lingual e pode ser travado em sua nova posição, portanto não móvel. O dente geralmente não é sensível ao toque. O teste de sensibilidade da polpa provavelmente dará resultados negativos. Nos dentes imaturos, a revascularização pulpar geralmente ocorre. Os achados radiográficos revelam um aumento no espaço do ligamento periodontal e deslocamento do ápice em direção ou através da placa óssea labial. O tratamento consiste em:

  • Dentes decíduos: O tratamento depende do grau de deslocamento, interferências oclusais e tempo para esfoliação. Os dentes podem ser passivamente reposicionados se não interferirem na oclusão. Se houver interferências, o dente é reposicionado ativamente e ferulizado nos dentes adjacentes por uma a duas semanas para possibilitar a cicatrização. Os dentes decíduos que requerem posicionamento têm um risco aumentado de desenvolver necrose pulpar em comparação com os dentes que são deixados para reposição espontânea. Quando a lesão é grave, o dente está perto da esfoliação ou o paciente não coopera, a extração deve ser considerada.

  • O reposicionamento ativo do dente em sua posição anatomicamente correta deve ser iniciado o quanto antes. O dente é reposicionado usando pressão digital sob anestesia local. O dente pode precisar ser extrudido para liberar a trava apical no osso cortical. Se o dente for deslocado mais que 5 mm, a polpa é extirpada dentro de 48 horas e o canal preenchido com hidróxido de cálcio. O dente é ferulizado aos dentes adjacentes por duas a quatro semanas. Antibióticos, profilaxia antitetânica e enxaguante bucal de gluconato de clorexidina a 0,2% são prescritos.

As luxações laterais sempre têm um componente de fratura dento-alveolar, e o osso alveolar é reposicionado em sua posição correta para manter a integridade alveolar. O osso pode ser estabilizado com uma férula flexível ou material de sutura durante quatro semanas.

Na dentição decídua, o tratamento de acompanhamento consiste em observação clínica em duas a três semanas, e observação clínica e radiografias em seis a oito semanas e um ano. Na dentição permanente, o acompanhamento é o exame clínico e radiográfico a cada duas semanas enquanto a férula está instalada e depois de seis a oito semanas, seis meses e anualmente até cinco anos. Existe um risco considerável de necrose pulpar e reabsorção radicular.