Concussão

A concussão é definida como uma lesão nas estruturas de suporte do dente sem afrouxamento anormal ou deslocamento do dente. Pode haver sangramento ao redor da gengiva como resultado de lesão nas estruturas de suporte do dente. Os dentes com concussão ficarão sensíveis à percussão devido a um ligamento periodontal inflamado e lesionado. É provável que os testes de sensibilidade da polpa apresentem resultados positivos. O exame radiográfico revela que o dente está em sua posição normal no alvéolo.

Os objetivos do tratamento são otimizar a cicatrização do ligamento periodontal e manter a vitalidade da polpa. Isso é feito aliviando o dente da oclusão. A ferulização em geral não é indicada a menos que o paciente reclame de mobilidade do dente. O paciente deve ser colocado em uma dieta pastosa por duas semanas.

Na dentição decídua, os pais devem ser informados que o dente traumatizado pode escurecer. No entanto, nenhum tratamento, além da observação, precisa ser realizado a menos que o paciente se queixe de dor, o dente se torne móvel ou desenvolva-se infecção. Se a raiz do dente decíduo estiver íntegra, uma pulpectomia pode ser realizada. Se a reabsorção radicular estiver presente, a extração é recomendada. Os pais são informados de que o dente pode clarear após um período de um a dois meses. Se isso não ocorrer e não houver patologia, o dente pode ser clareado com o uso de material composto.

Imagem: Dente traumatizado que escureceu.
Imagem: Radiografia de dente traumatizado.

Dentes permanentes maduros com ápices fechados podem sofrer necrose pulpar devido a lesões associadas aos vasos sanguíneos no ápice e necessitarão de terapia endodôntica.

Na dentição decídua, o tratamento consiste em observação clínica em uma semana e exame radiográfico em seis a oito semanas e quando os sintomas ocorrem.

Na dentição permanente, o acompanhamento consiste em observação clínica e radiografias em quatro semanas, seis a oito semanas e um ano.