Diabetes tipo 2: características

Indivíduos com diabetes tipo 2 têm níveis normais, aumentados ou diminuídos de insulina devido à função anormal das células beta. A necessidade de insulina exógena no diabetes tipo 2 é variável. Indivíduos com diabetes tipo 2 podem ser capazes de controlar seus níveis de glicose no sangue apenas com terapia de nutrição médica (medical nutrition therapy, MNT) e exercícios, com a ajuda de medicação antidiabética e/ou injeções de insulina.

O resultado do diabetes tipo 2 é hiperglicemia, resistência à insulina e/ou hiperinsulinemia. Assim como o diabetes tipo 1, os indivíduos com diabetes tipo 2 podem ser diagnosticados em qualquer idade, mas, em geral, ocorre após os 30 anos de idade. O número de adolescentes com diabetes tipo 2 está aumentando, particularmente nos grupos afro-americanos, nativos americanos e hispânicos. Mais importante ainda, o diabetes tipo 2 pode ser retardado ou prevenido com modificações no estilo de vida, como consciência da ingestão dietética apropriada, atividade física e controle de peso.

Visto que muitos indivíduos com diabetes tipo 2 podem ser assintomáticos, talvez passem anos até um diagnóstico ser feito. A diferença de tempo entre a hiperglicemia inicial e o diagnóstico é de cerca de 6,5 anos, portanto, é comum que os indivíduos tenham características de complicações de longo prazo antes do diagnóstico.7  Além de perguntar sobre sintomas relacionados a hiper ou hipoglicemia, o histórico médico deve incluir perguntas sobre indicações de complicações de longo prazo.7 Os dentistas devem estar cientes do HHS. Trata-se de uma emergência médica potencialmente fatal associada ao diabetes tipo 2, em que os valores de glicose no sangue são, em geral, superiores a 600 mg/dl. Os sinais e sintomas incluem desidratação e disfunção neurológica.