Diabetes tipo 1: características

O diabetes é classificado de acordo com a presença de hiperglicemia como resultado de anormalidades na produção de insulina, na ação da insulina ou uma combinação de ambas. O diabetes tipo 1 é uma categoria e é definido como uma destruição autoimune das células beta do pâncreas, causando deficiência total de insulina. Em um estado não diabético, o pâncreas é estimulado a produzir insulina pelo aumento dos níveis de glicose no sangue. Portanto, um indivíduo sem diabetes pode comer uma barra de chocolate grande com um refrigerante comum e seu pâncreas produzirá insulina suficiente para compensar a ingestão adicional de carboidratos, mantendo, assim, os níveis de glicose no sangue em um intervalo normal (meta: pré-refeição 80-130 mg/dl, pós-refeição inferior a 180 mg/dl). Visto que o corpo é incapaz de produzir insulina no diabetes tipo 1, o paciente depende de insulina exógena, que é injetada ao longo do dia conforme a necessidade

Normalmente, o início do diabetes tipo 1 é abrupto e pode ocorrer em qualquer idade, no entanto, é mais comum antes dos 30 anos de idade. Os sintomas clássicos incluem perda de peso, poliúria, polidipsia, polifagia e cetoacidose. Uma emergência médica que ocorre mais frequentemente em doentes com diabetes tipo 1 é a DKA, em que os valores de glicose são superiores a 300 mg/dl. Os sintomas incluem cetose, acidose e desidratação.A triagem do diabetes tipo 1 não é praticável devido à baixa incidência e ao início abrupto.6