Modalidades de tratamento

As metas do tratamento são reduzir a dor, evitar danos permanentes irreversíveis para os dentes e estruturas circundantes e reduzir o rangimento o máximo possível. Começar com soluções de cuidados domésticos seria a abordagem conservadora inicial para o tratamento.4, 54

Cuidados domésticos

  • Aplicar gelo ou calor nos músculos doloridos da mandíbula
  • Evitar ingerir alimentos duros
  • Evitar mascar chiclete
  • Beber bastante água
  • Fazer exercícios de alongamento para a face
  • Massagear os músculos do pescoço, ombros e face
  • Relaxar os músculos da face e a mandíbula

Placas noturnas – feitas sob medida ou genéricas

As placas noturnas são uma das opções de tratamento mais populares para o bruxismo do sono (figura 8). O objetivo do aparelho de terapia noturna é redistribuir as forças oclusais, relaxar os músculos mastigatórios, estabilizar a ATM, proteger a dentição e a estrutura dentária, diminuir os sintomas e, talvez, reduzir o bruxismo.16, 55 As placas noturnas podem durar uma média de alguns meses a anos, dependendo da força e frequência dos rangimentos. Há uma variedade de placas noturnas; escolher e aconselhar o paciente sobre a placa noturna correta é importante.

As placas noturnas devem ser usadas para proteger as restaurações e ser recomendadas para pacientes que rangem os dentes e têm múltiplas coroas, pontes ou implantes devido a falhas mais rápidas das restaurações. Pacientes periodontais que apresentam sintomas de bruxismo ou que reconhecem que rangem os dentes devem ser instruídos sobre a necessidade de usar uma placa noturna para proteção. O paciente deve conservar o periodonto, pois tem menos osso e tecido inserido, e a perda adicional seria mais prejudicial para os planos de tratamento periodontal. As placas noturnas também mantêm o espaço entre os dentes para que os músculos da mandíbula não fiquem totalmente contraídos e permaneçam relaxados.

Figura 8.
Placa noturna
Placa noturna.
Cortesia do Glidewell Laboratories.

Placas noturnas sob medida

Para pessoas que rangem os dentes de modo consistente e agressivo, uma placa noturna mais rígida deve ser recomendada. Uma placa dura/macia pode ser de 1 mm de poliuretano macio na camada interna e uma camada externa de copoliéster rígido e durável de 3 mm.53 Para pessoas que rangem os dentes de modo esporádico e menos agressivo, uma placa noturna mais suave pode ser recomendada.

Placas noturnas sob medida são geralmente a melhor opção para o paciente. O fato de serem personalizadas as torna mais confortável e, portanto, o comprometimento do paciente é melhor.

O processo para fabricar esse aparelho é um procedimento que leva duas consultas. Na primeira consulta, os moldes dos arcos maxilares e mandibulares são tomados. Os moldes podem ser enviados para um laboratório dentário ou o aparelho pode ser fabricado no consultório. Em geral, as placas bucais são montadas no maxilar. Às vezes, uma placa mandibular noturna é feita se o paciente tiver problemas com engasgos ou conforto. A segunda consulta é para entregar a placa e confirmar se ela se encaixa e se o paciente se sente confortável com ela, além de instruí-lo sobre os cuidados com a placa noturna.

Placas noturnas genéricas

Como as placas noturnas feitas sob medida podem ser caras e as seguradoras às vezes não cobrem seu custo, outra opção é comprar uma placa noturna genérica de venda livre. Existem diversas placas noturnas nos tamanhos pequeno, médio e grande. Essas placas noturnas tendem a ser volumosas, desconfortáveis e duras. O desconforto pode diminuir o comprometimento do paciente.

Outra opção são as placas noturnas que devem ser fervidas e mordidas. Elas tendem a ser mais confortáveis do que as outras, embora os danos causados pela pressão da mordida reduzam a vida útil desse tipo de placa. Essa placa deve ser fervida até que o plástico amoleça, esfriada o suficiente para não queimar os tecidos moles e, em seguida, colocada na boca. O paciente é instruído a pressioná-la contra os lábios para ajudar na formação geral da placa. À medida que endurece, ela se adapta aos dentes proporcionando um melhor ajuste.

Alguns pacientes podem ter de passar por um período de aprendizado com um aparelho bucal. Muitas vezes, eles acordam durante a noite ou na parte da manhã com a placa noturna fora da boca. Sugere-se que o paciente use o aparelho por curtos períodos ao longo do dia ou antes de se deitar. Isso o ajuda a não sentir que a placa noturna é um objeto estranho e a adormecer mais facilmente, e aumenta a chance de a placa permanecer no lugar durante toda a noite.

Medicamentos

Diferentes medicamentos têm sido prescritos por médicos ou dentistas para tratar o bruxismo, incluindo benzodiazepinas, anticonvulsivantes, betabloqueadores, agentes de dopamina e relaxantes musculares.

Ansiolíticos (relaxantes musculares) são prescritos para sedação e hipnose para tratar ansiedade e insônia. Esses medicamentos têm efeito temporário na atividade do músculo mandibular. A manutenção da sua eficácia terapêutica é interessante, no entanto, a tolerabilidade em longo prazo e o risco de dependência podem ser prejudiciais.4

Benzodiazepinas têm efeitos hipnóticos, ansiolíticos, anticonvulsivos e relaxantes musculares. Elas afetam o sistema nervoso central e se concentram no neurotransmissor inibitório, principalmente o GABA [gamma-aminobutyric acid (ácido gama-aminobutírico)]. Os efeitos sobre a coluna vertebral estão relacionados principalmente ao efeito relaxante muscular, enquanto a ação no sistema límbico e nas áreas corticais afetam comportamentos e emoções.4

O mecanismo de ação da buspirona se baseia no seu agonismo para receptores serotoninérgicos, interagindo principalmente com o receptor 5-HT1A, tanto nos níveis pré-sináptico quanto pós-sináptico. O tratamento do bruxismo com esse medicamento se deve à sua ação ansiolítica e interação com os sistemas serotoninérgico e dopaminérgico.4

Antiepilépticos (anticonvulsivantes) são prescritos para epilepsia e tratamento clínico da dor orofacial, como neuralgia trigeminal idiopática e pós-herpética.4 Os efeitos benéficos sobre as doenças neuromotoras, como a epilepsia, levaram os clínicos a testá-los no tratamento de bruxismo.

A gabapentina foi estudada e utilizada para o bruxismo grave induzido por medicamentos SSRI e mostrou uma melhora significativa.4

O clonazepam possui evidências comprovadas no tratamento do bruxismo do sono em curto prazo. Seus riscos incluem dependência e depressão respiratória leve.29, 33

A tiagabina é usada para espasmos musculares, dor neuropática, ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático. Ela inibe a recaptação do neurotransmissor GABA nos terminais sinápticos. Além de suas ações anticonvulsivas, ela aumenta os estágios de sono 3 e 4, portanto, diminuindo o bruxismo do sono. É o único medicamento antiepiléptico que ajuda a aumentar os estágios do sono.4,29, 56

Os antagonistas e agonistas adrenérgicos são betabloqueadores prescritos para hipertensão, cardiopatias isquêmicas e algumas arritmias.54 Esses medicamentos têm demonstrado um efeito benéfico sobre o bruxismo, especialmente o propranolol e a clonidina. A hipótese é que esses medicamentos antagonistas adrenérgicos sejam úteis no tratamento clínico do bruxismo através do aumento do ritmo cardíaco durante os episódios de bruxismo do sono. Isso sugere uma possível relação entre a ativação do sistema simpático e o bruxismo. Como a taquicardia ocorre em episódios de bruxismo, os dados sugerem fortemente uma relação entre o sistema nervoso autônomo e os mecanismos do bruxismo.20

O propranolol tem demonstrado aliviar o bruxismo. O efeito farmacológico da clonidina gera alterações na pressão arterial e na frequência cardíaca. Esse medicamento diminui a atividade simpática durante o sono e o tônus simpático durante os minutos que precedem o início do bruxismo do sono.

Agentes de dopamina (agonistas de receptores dopaminérgicos) são prescritos para ativar os receptores da dopamina. A bromocriptina é um agonista D2 dopaminérgico que funciona nos níveis central e periférico. Pequenas doses provaram reduzir o bruxismo, mas no estudo, muitos participantes abandonaram o medicamento devido aos efeitos colaterais.4

Outro agonista D1/D2 dopaminérgico é a pergolida (Prascend). Esse medicamento foi utilizado para bruxismo grave e utilizado e estudado em pacientes antes de receberem implantes dentários. Estudos mostraram uma melhora significativa nos episódios de bruxismo com duração de até um ano, mesmo com uso interrompido.52 Esse medicamento não está mais disponível no mercado dos EUA devido a uma ligação com taxas elevadas de doença cardíaca valvular. Ele ainda é usado em outros países para o tratamento da doença de Parkinson.57

Acupuntura

A acupuntura tem por objetivo realinhar os desequilíbrios estruturais, reduzir a tensão muscular, tratar a dor e acalmar o sistema nervoso. Ao desbloquear os circuitos de energia que percorrem a região da mandíbula, juntamente com uma tonificação geral da energia yin, em geral, ela resolve o problema. Quando a dor de dente é o problema, o tratamento de acupuntura abre os canais em direção ao maxilar ou à mandíbula e acalma e desintoxica os meridianos próximos da área afetada, trazendo alívio da dor.58

Massagem

Cerrar e ranger os dentes afeta o músculo masseter com mais frequência, já que ele é o maior e mais forte músculo da estrutura orofacial. Quando os pacientes rangem os dentes, em geral, é o músculo masseter que fica dolorido e inflamado. Massagear estimula a circulação do sangue e a nutrição dos músculos, aliviando a inflamação da mandíbula, da face, da ATM, do pescoço, dos ombros e das áreas superiores das costas.43

Outros benefícios da massagem são: diminuição da dor muscular e da tensão, alívio da ansiedade, estresse e tensão, relaxamento dos músculos, alívio das dores de cabeça, facilita a remoção de subprodutos indesejáveis e que causam inflamação, estimula o sistema imunológico e promove relaxamento e conforto.59

Toxina botulínica (Botox)

A toxina botulínica (Botox) pode diminuir os efeitos do bruxismo. Em uma forma extremamente diluída, a toxina botulínica é injetada para enfraquecer (parcialmente paralisar) os músculos e tem sido utilizada de forma extensa em procedimentos cosméticos para ‘relaxar’ os músculos da face.60 O bruxismo é considerado um distúrbio de contração repetitivo e inconsciente do músculo masseter. No tratamento do bruxismo, o Botox enfraquece o músculo o suficiente para reduzir os efeitos do rangimento e cerramento dos dentes, mas não a ponto de impedir o uso adequado do músculo. Embora a intenção das injeções de Botox seja penetrar apenas o músculo e evitar que o Botox se extravase para o resto do corpo, há indicações de que algumas frações de Botox passam para o sistema vascular e migram para outras partes do corpo. O tratamento com Botox normalmente envolve cinco ou seis injeções nos músculos masseter.61 Demora alguns minutos por lado, e o paciente geralmente começa a sentir os efeitos no dia seguinte. Dores de cabeça e lesões da ATM também podem ser aliviadas com essas injeções.60

Biofeedback

O biofeedback é um tratamento usado para tratar pessoas com bruxismo em vigília, usando instrumentos eletrônicos para medir a atividade muscular e ensinar aos pacientes como reduzir a atividade muscular quando a força da mordida fica muito grande.4

Exercícios

Exercícios ajudam a aliviar o estresse, melhorando os sistemas imunológico e circulatório, o que ajuda com uma noite de sono tranquila e eleva a serotonina e a dopamina. Hobbies para relaxamento, como meditação ou ioga, podem aliviar as tendências ao bruxismo.

Remédios naturais

Cálcio e magnésio

Algumas pesquisas afirmam que o bruxismo pode ser causado por deficiências de magnésio e cálcio. O papel vital do magnésio se encontra nas funções nervosa e muscular. A deficiência de magnésio provoca espasmos musculares. Aumentar a ingestão de magnésio ajuda a aliviar a tensão muscular. A deficiência de cálcio provoca cãibras musculares e movimento involuntário dos músculos, incluindo os músculos faciais. Aumentar os níveis de cálcio ajuda com cãibras musculares e no suporte da força óssea, o que pode prevenir o bruxismo, apoiando o desenvolvimento neural.61

Existem algumas ervas calmantes recomendadas, como camomila, lúpulo, scutellaria e valeriana. Todas têm propriedades relaxantes conhecidas por reduzir a ansiedade e ajudar o corpo a dormir mais profundamente.62 O uso de óleos essenciais, como lavanda e óleo de camomila, também pode promover um sono profundo e energizante.