Causas comuns do bruxismo

Estresse, estilo de vida, medicamentos, condições médicas e oclusão são os principais contribuintes para o rangimento dos dentes.

Estresse

O estresse é definido como um fator físico, químico ou emocional que causa tensão corporal ou mental e pode ser um fator na causa da doença. O bruxismo pode estar relacionado ao estado mental de uma pessoa. Nosso corpo reage ao estresse, quer ele queira quer não.2 Em um contexto médico ou biológico, o estresse é um fator físico, mental ou emocional que provoca tensão corporal ou mental.14 O estresse pode ser causado por fontes ambientais externas, situações psicológicas ou sociais. Fontes internas, como doenças ou procedimentos médicos, também podem causar estresse. O estresse pode iniciar a resposta de “luta ou fuga”, uma reação complexa dos sistemas neurológico e endócrino.8

O estresse é simplesmente uma reação a um estímulo que perturba nosso equilíbrio físico ou mental, criando emoções não resolvidas como frustração, raiva, competitividade, agressividade, ansiedade, tensão, personalidade hiperativa ou conflito não resolvido. A supressão de sentimentos também pode causar estresse indevido. O fator psicológico está relacionado à depressão, ansiedade e estresse emocional, que desempenham um papel importante no início e perpetuação do bruxismo, bem como na sua frequência e gravidade. Acredita-se também que os indivíduos deprimidos, ansiosos e emocionalmente estressados apresentam maior predisposição para o desenvolvimento do bruxismo do sono em resposta à liberação do estresse emocional diário.15 Como o bruxismo pode ser considerado uma resposta emocional, pessoas que tendem a suprimir seus sentimentos de frustração e raiva e que tendem a ter personalidades agressivas, competitivas, apressadas e que acumulam tensão nervosa apresentam maior risco de ranger os dentes. As personalidades tipo A e hiperativa também levam ao bruxismo. Períodos estressantes, como exames, falecimento de um familiar, divórcio ou casamento, realocação, excesso de trabalho, preocupação excessiva ou qualquer outra situação que pode causar pressão extra, podem intensificar o bruxismo.16,17

Estilo de vida

Muitas escolhas de estilo de vida podem aumentar o ciclo de bruxismo, em especial com o uso de substâncias psicoativas, como álcool, tabaco, drogas e cafeína.18

Álcool

Ingerir álcool em excesso dobra as chances de um paciente desenvolver bruxismo do sono. O bruxismo tende a se intensificar após o consumo de álcool. A ingestão ocasional de álcool, como um ou dois copos de vinho antes de se deitar para ajudar a pessoa a dormir melhor, parece uma boa ideia, mas, na realidade, o álcool é conhecido por quebrar padrões de sono. Se o seu paciente dorme mal, isso aciona seus músculos para hiperatividade e rangimento dos dentes. Também aumenta a quantidade de despertares durante o sono.18

Os mecanismos de ação do álcool no sistema nervoso central incluem alterações dos níveis de:

  • glutamato (neurotransmissores que enviam sinais no cérebro e em todos os nervos do corpo),
  • dopamina (o centro de recompensa e prazer),
  • serotonina (neurotransmissores que transmitem mensagens de uma área do cérebro para outra, afetando humor, sono, apetite, memória e aprendizado, regulação da temperatura e comportamento social),
  • sistemas extrapiramidais (ajudam a regular e modulam o movimento).

Quando essas alterações são afetadas, diminui o papel modulador que os neurônios de glutamato desempenham no sistema dopaminérgico no sistema nervoso central. Essa ação gera alterações importantes no comportamento e na atividade motora que, por sua vez, aumenta o bruxismo.4

Uso de tabaco

O tabaco é um estimulante e afeta o sistema dopaminérgico. O bruxismo em usuários de tabaco é duas vezes mais prevalente do que em não usuários, apresentando episódios de bruxismo do sono cinco vezes mais frequentes por noite. Os sintomas relacionados ao bruxismo são três vezes maiores nos usuários de tabaco do que em não usuários. Usuários de tabaco também observam e relatam bruxismo mais do que não usuários.4

Drogas recreacionais

Estimulantes em drogas recreacionais, como ecstasy, cocaína, metanfetamina (MET) e heroína, aumentam o bruxismo. Essas drogas são estimulantes do sistema nervoso central. Seu mecanismo de ação é baseado nos neurotransmissores no cérebro, sendo o sistema dopaminérgico o mais envolvido. Neurotransmissores são essenciais para funções no sistema nervoso central que envolvem aprendizado, memória, ciclo do sono, movimento do corpo, regulação hormonal e muitos mais.19 Eles também iniciam distúrbios motores, causando o bruxismo. O ecstasy gera a maior preocupação em relação ao bruxismo grave em vigília e durante o sono. Ele pode permanecer no sistema por 6-8 horas, com o bruxismo como efeito colateral em um terço dos usuários. Com uso regular, essas drogas podem promover o bruxismo, levando ao desgaste grave em um curto período.4

Cafeína

Ingerir bebidas com cafeína, como refrigerante, bebidas energéticas, chá e café (seis ou mais xícaras por dia), aumenta o risco de bruxismo. A cafeína tem uma meia-vida de seis horas depois de consumida. É um estimulante que pode promover a atividade muscular e causar períodos de vigília frequentes durante a noite.20, 21, 22