Periodontite e Doença Cardiovascular

A evidência para a associação entre doenças cardiovasculares e periodontite é a seguinte:

  • Plausibilidade – a periodontite leva à entrada de bactérias na corrente sanguínea. As bactérias ativam a resposta imune inflamatória do hospedeiro por múltiplos mecanismos. Vários modelos animais demonstraram que a resposta inflamatória do hospedeiro favorece a formação, maturação e exacerbação do ateroma.
  • Dados epidemiológicos – existe evidência epidemiológica consistente de que a periodontite aumenta o risco de doença cardiovascular futura, independentemente de outros fatores que possam causar confusão. Em um Workshop de Periodontia e Cardiologia, um evento conjunto da Federação Europeia de Periodontologia (EFP) e da Federação Mundial de Cardiologia (WHF), a seguinte declaração foi publicada, sublinhando a mensagem contínua de uma possível ligação entre saúde cardíaca e saúde bucal: "Depois de revisar as evidências mais recentes sobre as associações entre periodontite e doenças cardiovasculares, os 20 especialistas das duas organizações observaram como uma boa saúde bucal pode melhorar os resultados cardiovasculares e como os cardiologistas e periodontistas devem integrar esses achados em sua prática diária."18
  • Estudos de intervenção – há evidência moderada de que o tratamento periodontal reduz a inflamação sistêmica, conforme evidenciado por reduções na proteína C-reativa (PCR) e no estresse oxidativo, e leva a melhorias nas medidas clínicas e bioquímicas substitutas da função endotelial vascular.