Efeitos de Procedimentos Preventivos em Restaurações Dentais

Muitos pacientes recebem procedimentos preventivos de higiene dental duas vezes por ano e procedimentos de manutenção periodontal até quatro vezes por ano. A técnica de instrumentação e os produtos selecionados pelo higienista dental podem ser benéficos ou prejudiciais às restaurações dentárias do paciente. Portanto, é essencial identificar os materiais restauradores que estão presentes antes de iniciar o tratamento.

As restaurações podem ser identificadas por meio da revisão de radiografias, detecção tátil e aplicação de ar na superfície da restauração. Muitas vezes, uma linha preta de metal pode estar aparente quando um explorador é usado na restauração. Restaurações estéticas também podem revelar uma aparência seca e calcária quando o ar é aplicado.1

Procedimentos preventivos e de manutenção são frequentemente realizados usando uma combinação de instrumentação manual e ultrassônica, seguida de polimento. É importante usar a combinação que será mais eficaz para a remoção de depósitos, causando menor dano à restauração e estrutura dentária. Há evidências conflitantes sobre o efeito da raspagem com instrumentos manuais versus instrumentação ultrassônica e a quantidade de estrutura dentária que é perdida em cada caso. Alguns estudos relatam que a raspagem com instrumentos manuais produz maior perda de estrutura dentária.2,23,24 No entanto, outros estudos indicam que não há uma diferença significativa na quantidade de estrutura dentária perdida quando se compara a instrumentação manual e ultrassônica.25,26

A instrumentação com raspadores ultrassônicos e instrumentos manuais tem o potencial de danificar restaurações de compósito (híbridas e microparticuladas), ionômeros de vidro, facetas laminadas e pilares de implantes de titânio. Ao usar instrumentação ultrassônica, o cirurgião-dentista deve sempre estabelecer um fluxo de água adequado para evitar o superaquecimento, usar o nível de potência adequado necessário para a remoção do depósito e manter a adaptação correta do lado da ponta.21 Os ultrassônicos têm o potencial de alterar as margens de restaurações de amálgama e fraturar porcelana. Para evitar danos à restauração, as pontas dos raspadores nunca devem ser direcionadas para a junção onde o esmalte e o material restaurador se encontram.3

Para os cirurgiões-dentistas que preferem usar sistemas de polimento com jatos de bicarbonato de sódio, alguns estudos mostram que o polimento com ar pode ser mais eficaz na remoção de placas e manchas do que o polimento com taças rotativos e pastas abrasivas.28,29 Em comparação, Chowdhary e Mohan descobriram que o polimento com uma taça de borracha foi mais eficaz do que o polimento a ar para alisamento e remoção de detritos.33 O polimento a ar também é eficaz na preparação de dentes para selantes. Entretanto, o polimento a ar deve ser evitado assim que os selantes forem colocados.31 Deve-se tomar cuidado ao usar polidores a ar próximos a restaurações. Um estudo in vitro utilizando incisivos inferiores de bovinos constatou que os dispositivos de polimento com jatos de bicarbonato de sódio criavam aberturas marginais maiores nas restaurações de Classe V do que quando a profilaxia era realizada com uma taçade borracha e pó de pedra-pomes.30

Tradicionalmente, pós de bicarbonato de sódio têm sido usados para polimento com jatos.31 No entanto, existem outros pós disponíveis para uso com polidores a ar. Estes incluem pós de glicina, fosfossilicato de sódio e cálcio, carbonato de cálcio e tri-hidróxido de alumínio.19,31 Esses novos pós têm o benefício adicional de conter muito pouco ou nenhum sódio, o que é benéfico para pacientes em dietas de restrição de sódio.31 Os cirurgiões-dentistas devem estar familiarizados com as propriedades de cada agente e entender as respectivas recomendações dos fabricantes.31 Por exemplo, devido às alterações na superfície que foram observadas visualmente e com um Microscópio Eletrônico de Varredura, o pó de tri-hidróxido de alumínio deve ser evitado em resinas compostas, compósitos modificados por resina e ao redor das margens de restaurações cimentadas.4 Em geral, os profissionais de odontologia devem evitar o uso de polidores a ar em restaurações de compósitos.1 Entretanto, descobriu-se que os pós à base de glicina criavam menos defeitos em material restaurador e estruturas dentárias31 e podem ser preferíveis por esse motivo.

A aplicação de flúor é benéfica para prevenir lesões de cárie recorrentes próximas de restaurações dentárias. Segundo Artopoulou et al., fluoreto de sódio a 1,1% (NaF) é a escolha preferida para restaurações estéticas. Demonstrou-se que o fluoreto de sódio causa menos manchas e deterioração nas superfícies de porcelana do que o fluoreto de estanho a 0,4% (SnF2).5 Os higienistas dentais também devem evitar o uso de fluoreto de fosfato acidulado, que pode causar alteração das partículas e descoloração da resina. Se enxaguantes bucais com flúor forem recomendados para cuidados domiciliares, evitar sugerir enxaguantes com álcool, que atua como um solvente para a resina BIS-GMA. Isso resulta no amolecimento do material, o que pode aumentar a rugosidade e a mancha.1

O uso de restaurações CAD/CAM (design auxiliado por computador/fabricação assistida por computador) dentro das práticas odontológicas aumentou e os profissionais de odontologia precisarão estar familiarizados com suas características para mantê-los adequadamente.6 Alguns materiais, como a cerâmica de dissilicato de lítio CAD e.max, têm boa resistência à abrasão, mas as pastas profiláticas produziram uma redução na translucidez.7 Em um estudo comparando os efeitos da profilaxia no brilho da superfície e rugosidade da resina do compósito CAD/CAM e de blocos cerâmicos (destinados a restaurações indiretas), descobriu-se que as mudanças na superfície decorrentes do uso da pasta grosseira não foram melhoradas pelo polimento subsequente com pasta fina.34 Isso sugere a importância de usar a melhor pasta possível para realizar o procedimento. A fim de manter a restauração com um aspecto novo e tão natural quanto possível, é importante seguir as recomendações dos fabricantes em relação ao produto adequado a ser usado para manter a restauração.1