Considerações sobre Cuidados para Restaurações Estéticas

Profissionais de odontologia precisam ter uma compreensão de como manter e cuidar adequadamente das restaurações do paciente. Ao longo dos anos, tem sido mantido que o polimento deve ser “seletivo” para remover a mancha que o cirurgião-dentista não conseguiu remover durante a raspagem. A teoria era que o polimento era feito para fins estéticos. No entanto, com a nova geração de pastas de polimento, houve uma mudança de paradigma de que o polimento também pode ser considerado terapêutico.

As evidências sugerem que as pastas de profilaxia convencionais têm o potencial de aumentar a rugosidade superficial do compósito de resina, ionômero híbrido e de restauração de compômero. Portanto, Warren e colegas aconselham que o polimento de rotina durante a profilaxia deve ser evitado.8 No entanto, o profissional médico deve avaliar as necessidades do paciente e formar um plano de cuidados individualizado, utilizando informações baseadas em evidências para proporcionar o melhor atendimento ao paciente. É aconselhável usar o grão mais fino possível para remover os depósitos e se for necessário um grão médio ou grosseiro, o procedimento deve ser concluído com o polimento mais fino para deixar as superfícies o mais lisas possível.32

Os fabricantes estão desenvolvendo pastas profiláticas seguras para uso nas novas restaurações estéticas. Essa nova geração de pastas profiláticas que contêm Calprox, óxido de alumínio ou xilitol e flúor pode ser usada com segurança em restaurações estéticas quando o grão “fino” é selecionado.22 Além disso, a pasta dessensibilizante é perfeita para o paciente que pode estar sofrendo com sensibilidade e acúmulo de biofilme próximo à restauração cervical. Essas pastas contêm 8% de arginina e carbonato de cálcio e são seguras para uso em compósito de resina, porcelana, amálgama, ouro e esmalte dental16

A adaptação adequada dos instrumentos é crucial para evitar arranhões, fraturas ou lascas nos dentes e/ou materiais dentários. Os procedimentos de raspagem devem ser realizados com cuidado, e os locais que são irregulares após o procedimento podem ter de ser polidos novamente para evitar o acúmulo de placa.11 Qualquer área de rugosidade aumentará a aderência bacteriana. Na verdade, a pesquisa mostrou uma correlação positiva entre a rugosidade superficial e a quantidade de S. mutans que adere à restauração.12,13 O acúmulo de biofilme pode levar à inflamação gengival e à cárie recorrente, o que diminuirá a longevidade da restauração.32