Dentalcare.com.br

Estratégias Preventivas

Como uma das diferenças marcantes entre peri-implantite e periodontite é a evolução mais rápida da peri-implantite e a gravidade da destruição tecidual associada, o sucesso do tratamento (desfecho, prognóstico) depende muito da prevenção e do diagnóstico e tratamento precoces.

Escovas de dentes

Em geral, as escovas de dente eletromecânicas demonstraram ser mais eficazes na remoção de placa do que as escovas manuais, especialmente nas áreas linguais mandibulares..40,41 Embora estudos prospectivos bem controlados que demonstrem a superioridade das escovas motorizadas especificamente ao redor dos implantes dentários não tenham sido realizados, é intuitivo que a manutenção de um bom controle da placa ao redor de implantes dentários seja benéfica.

Cremes dentais

Não existem estudos prospectivos controlados que comparem a eficácia de várias formulações de cremes dentais em torno de implantes dentários. No entanto, há fortes evidências de que cremes dentais com fluoreto de estanho e aqueles contendo triclosan com copolímero têm atividade antiplaca e antigengivite estatisticamente significativa.42

Mais recentemente, em ensaios clínicos controlados de 6 meses, um creme dental contendo fluoreto de estanho-hexametafosfato de sódio demonstrou ter eficácia antiplaca e antigengivite superior.43,44 Além disso, a formulação de fluoreto de estanho-hexametafosfato de sódio demonstrou ter atividade antigengivite em indivíduos previamente não responsivos a um creme dental contendo triclosan-copolímero.45

Enxaguantes Bucais

Não existem estudos prospectivos controlados que comparem a eficácia de várias formulações de enxaguantes bucais em torno de implantes dentários. No entanto, existem evidências robustas de que formulações de enxaguantes bucais contendo clorexidina e óleos essenciais têm atividade antiplaca e antigengivite estatisticamente significativas.42 A mesma meta-análise também concluiu que os efeitos antiplaca e antigengivite dos enxaguantes bucais com cloreto de cetilpiridínio (CPC) são dependentes de formulação.

Em um ensaio clínico de 6 meses controlado por placebo, um enxaguante bucal de cloreto de cetilpiridínio a 0,07% revelou-se estatisticamente superior ao placebo na redução da placa e gengivite.46 Outro estudo de 6 meses não mostrou diferença estatisticamente significativa nos efeitos antiplaca e antigengivite do enxaguante bucal de cloreto de cetilpiridínio a 0,07 % quando comparado com um enxaguante bucal contendo óleo essencial.47

Um estudo recente avaliou o desempenho de quatro enxaguantes bucais contendo CPC disponíveis comercialmente versus um controle negativo (CTR) usando o Ensaio de Retenção em Disco (DRA) e o Método de Glicólise e Recrescimento de Placa (PGRM).48 O DRA avaliou a porcentagem de adsorção de CPC nos discos de celulose aniônica e forneceu uma medida da substantividade e biodisponibilidade dos enxaguantes bucais de CPC. O teste PGRM examinou os efeitos do CPC nas propriedades de metabolismo e crescimento da placa in vivo amostrada após o tratamento.

Os produtos testados foram o Crest Pro Health (CPH700 ppm); Colgate Total US (CT750 ppm); Enxaguante bucal Scope (SCP450 ppm); e Colgate Total Puerto Rico (CT450). A comparação do DRA com o PGRM mostrou uma relação linear entre a biodisponibilidade do CPC e seu desempenho clínico antimicrobiano com a eficácia ordenada por classificação, ou seja, CPH700> CT750> SCP450> CT450> CTR. O estudo concluiu que a atividade antiplaca e antigengivite dos enxaguantes bucais contendo CPC é baseada na substantividade e biodisponibilidade ideais do CPC.