Dentalcare.com.br

Aplicações Endodônticas

Lasers de Nd:YAG, Érbio e diodos têm sido extensamente estudados como adjuvantes do tratamento endodôntico. Muitos desses estudos mostraram remoção e desinfecção melhoradas da smear layer no terço apical do dente. Há a preocupação de efeitos térmicos negativos dentro do espaço confinado do canal radicular.

Recentemente, um fenômeno conhecido como PIPS (Photon Induced Photoacoustic Streaming) foi descoberto. A potência de pico extremamente alta e a afinidade pela água do laser Er:YAG cria um fenômeno interessante quando pontas de queima radiais de formato especial são colocadas em soluções de irrigação. Quando essas pontas especiais são submersas em solução, cada pulso envia uma poderosa onda de energia acústica por toda a solução. O laser é usado em uma configuração que cria muito pouco efeito térmico. A onda de choque resultante propaga-se por todo o sistema tridimensional do canal radicular, até mesmo pelos menores canais acessórios. O microscópio eletrônico de varredura e os estudos microbiológicos mostraram limpeza e desinfecção extremamente minuciosas do complexo total do canal radicular.18,19 A técnica PIPS possibilita ao cirurgião-dentista instrumentalizar de maneira menos agressiva e ainda conseguir um sistema de canais radiculares completamente limpo.

Uma técnica PIPS modificada chamada SWEEPS (Shock Wave Enhanced Emission Photoacoustic Streaming) foi desenvolvida recentemente. Essa técnica usa um segundo pulso de tempo variável para melhorar a onda de choque do PIPS em cerca de 30%.

Figura 43. Endodontia.
Esta imagem apresenta o dente 5 instrumentado em lima manual tamanho 25 e tratado com PIPS (fluxo fotoacústico induzido por fótons) usando hipoclorito de sódio, água estéril e EDTA.
Dente 5 instrumentado em lima manual tamanho 25 e tratado com o PIPS (Photon Induced Photoacoustic Streaming) usando hipoclorito de sódio, água estéril e EDTA. Cimento EndoRez (Ultradent Products) foi usado com um único cone de guta percha por canal. Existem múltiplos canais laterais preenchidos com cimento, tanto na raiz média quanto apicalmente.
Figura 44. Fluxo fotoacústico induzido por fótons (PIPS).
Esta imagem apresenta um molar que foi tratado com PIPS apenas, sem instrumentação mecânica, e depois selado com EndoRez para demonstrar a eficácia do procedimento.
Fluxo fotoacústico induzido por fótons (PIPS). Este molar foi tratado com PIPS apenas sem instrumentação mecânica e depois selado com EndoRez para demonstrar a eficácia do procedimento. Múltiplos canais laterais foram limpos e selados de maneira eficaz.
Foto cedida pelo Dr. Enrico DiVito.
Figura 45. Canal tratado a laser.
Estas duas imagens apresentam instrumentação e irrigação normais que não deixam smear layer significativa à esquerda e a dentina tratada com PIPS à direita que está isenta de smear layer.
A instrumentação normal e a irrigação deixam uma smear layer significativa à esquerda. A dentina tratada com PIPS à direita está isenta de smear layer.
Foto cedida pelo Dr. Enrico DiVito
Figura 46. Canal Lateral Tratado.
Esta imagem apresenta um canal lateral em um dente tratado com PIPS que está livre de detritos.
Um canal lateral em um dente tratado com PIPS está livre de detritos.
Foto cedida pelo Dr. Enrico DiVito.
Vídeo 4.
Vídeo sem narrativa.
O PIPS está sendo realizado no canal mesiovestibular 1 e os detritos podem ser vistos elevando-se a partir do canal mesio-vestibular 2 neste molar superior. Quando o cimento resinoso é injetado no canal mesiovestibular 1, ele pode ser visto vindo pelo canal mesiovestibular 2 através de anastomoses que foram completamente limpas pelo PIPS. Esse fenômeno é comumente observado em vários dentes por dentistas que realizam PIPS. (Er:YAG laser com ponta especial de PIPS).
Fonte: Dr. Mark Collona.