Dentalcare.com.br

Processo de Cárie e Estratégias de Prevenção: Desmineralização/Remineralização
Fluoreto

Autor do curso: Susan Higham, BSc (Bacharel em Ciências), PhD (doutora), CBiol (Bióloga Oficial), MRSB (Membro da Sociedade Real de Biologia); Chris Hope, BSc (Bacharel em Ciências) (com distinção), PhD (doutor), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior); Sabeel Valappil, BSc (Bacharel em Ciências), MSc (Mestre em Ciências), PhD (doutor), PGCertEd (Pós-Graduado em Educação), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior); Phil Smith, BDS (Bacharel em Ciências Odontológicas), MDS (Mestre em Ciências Odontológicas), PhD (doutor), FDS (Docente em Cirurgia Odontológica), DRD (Destacamento de Pesquisa Odontológica), MRD (Membro em Odontologia Restauradora), FDS (Docente em Cirurgia Odontológica) (Odont. Rest.), RCS (Academia Real de Cirurgiões) (Edin), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior)

Fluoreto

Esse mineral exerce seus conhecidos efeitos anticárie principalmente reduzindo a desmineralização e melhorando a remineralização. Quando o fluoreto está presente em baixas concentrações na saliva e no fluido da placa, é provável que os íons de fluoreto sejam incorporados na superfície remineralizante da lesão, deixando a região reparada com maior teor de fluoreto do que o que era encontrado originalmente. O mais exato é chamar o material formado na superfície da lesão de fluorapatita, que é um material mais estável e menos solúvel e que protege o corpo da lesão por baixo dele. Ele também se liga firmemente ao cálcio, tornando menos provável que os íons de cálcio sejam retirados do dente e levados para a solução. Descobriu-se que, quando a saliva e o fluido da placa estão supersaturados em relação ao fluoreto, e quando houve formação de fluorapatita, os danos à estrutura dentária não começam a ocorrer a um pH de 5,5, mas sim a um pH mais ácido, de 4,5, enfatizando o efeito protetor do fluoreto. O efeito global é a redução da desmineralização dentária, em resultado da camada externa protetora de fluorapatita. Se não houver fluoreto disponível, o ambiente bucal começa a favorecer a desmineralização.1

Nos Estados Unidos, o fluoreto é mais comumente administrado sistemicamente pelo suprimento de água, ou topicamente na forma de cremes dentais e enxaguantes bucais vendidos com ou sem receita médica. Em casos de cárie mais grave, podem ser necessárias aplicações profissionais de liberação lenta ou em vernizes, géis ou espumas de fluoreto.