Processo de Cárie e Estratégias de Prevenção: Desmineralização/Remineralização
Crescimento de Cristais Durante a Remineralização

Autor do curso: Susan Higham, BSc (Bacharel em Ciências), PhD (doutora), CBiol (Bióloga Oficial), MRSB (Membro da Sociedade Real de Biologia); Chris Hope, BSc (Bacharel em Ciências) (com distinção), PhD (doutor), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior); Sabeel Valappil, BSc (Bacharel em Ciências), MSc (Mestre em Ciências), PhD (doutor), PGCertEd (Pós-Graduado em Educação), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior); Phil Smith, BDS (Bacharel em Ciências Odontológicas), MDS (Mestre em Ciências Odontológicas), PhD (doutor), FDS (Docente em Cirurgia Odontológica), DRD (Destacamento de Pesquisa Odontológica), MRD (Membro em Odontologia Restauradora), FDS (Docente em Cirurgia Odontológica) (Odont. Rest.), RCS (Academia Real de Cirurgiões) (Edin), FHEA (Membro da Academia de Ensino Superior)

Crescimento de Cristais Durante a Remineralização

O processo pelo qual os cristais desmineralizados são remineralizados é bastante complicado. Durante um período de supersaturação, é possível o crescimento dos cristais, pois os cristais desmineralizados geram novos cristais a partir da solução. Mas o crescimento de cristais é suscetível ao envenenamento por substâncias estranhas, e os inibidores do crescimento da hidroxiapatita presentes na saliva podem interferir no processo. Portanto, os cristais recentemente precipitados em geral são muito pequenos e contêm muitos defeitos, como íons ausentes, que os tornam mais solúveis. Cristais predominantemente banhados em um grande volume de solução saturada em relação à hidroxiapatita tenderão a se aperfeiçoar, à medida que se tornarem remineralizados. As partes solúveis se formarão novamente e os cristais crescerão até atingir seu tamanho natural máximo, em um processo chamado de maturação de Ostwald.1,18