Dentalcare.com.br

Visão Geral

Ficou estabelecido que o ambiente bucal é um dos principais fatores no processo de cárie. Somente quando a acidez aumenta no ambiente bucal é que ocorre a desmineralização do esmalte e, subsequentemente, a cárie. Nesta seção, é discutido o papel dos carboidratos fermentáveis, dando atenção especial à forma como a cárie pode ser influenciada pelo potencial cariogênico dos açúcares e amidos ingeridos, pelas características físicas dos carboidratos ingeridos (como sua adesividade) e pela frequência de ingestão e exposição a açúcares. A curva de Stephan, que ilustra como o pH dental muda ao longo do tempo em resposta ao desafio de carboidratos, também é apresentada, com uma discussão de como fatores que incluem o tipo de carboidrato, a capacidade de tamponamento da saliva e o tipo e a quantidade de bactérias presentes afetam as respostas do pH da placa.

Snapchots de Significância Clínica

Que fatores ambientais podem ser facilmente modificados para ajudar na prevenção da cárie dentária?

Se um paciente ou outros membros da família tiverem sinais de cárie, é extremamente importante procurar fatores ambientais que possam estar contribuindo para o aumento do risco de desenvolver a doença. Embora a modificação dos fatores ambientais seja sempre um desafio, o sucesso é mais provável se o ambiente da unidade familiar for investigado, bem como o ambiente do membro específico da família em risco. A mudança dos fatores ambientais de apenas um membro da família provavelmente não será bem-sucedida.

Embora alguns fatores sejam mais fáceis de modificar do que outros, existem algumas coisas que podem ser feitas sem muito esforço e que podem ter um impacto significativo na prevenção da cárie. Elas incluem: a) alteração no consumo de açúcares (como carboidratos fermentáveis) para minimizar o potencial de desmineralização; b) controle do biofilme da placa dentária para reduzir a quantidade de bactérias cariogênicas presentes (embora existam poucos estudos mostrando correlações diretas entre a higiene bucal e a prevenção da cárie dentária, provavelmente devido ao fato de que é impossível remover todas as bactérias acidogênicas/cariogênicas presentes na boca; mas faz sentido tentar minimizar o desafio geral tanto quanto possível); e c) o encorajamento aos processos de remineralização para maximizar o potencial de reparo mineral.remineralização para maximizar o potencial de reparo mineral.

Como posso trabalhar com meu paciente para modificar esses fatores ambientais e reduzir o risco de desenvolvimento de cárie dentária?

Depois de fazer uma avaliação geral do status de cárie de cada paciente, podem ser sugeridas mudanças ambientais positivas que ajudarão a reduzir o risco de cárie minimizando os fatores negativos e incentivando os positivos.

  1. A ingestão de carboidratos fermentáveis (especialmente os mono e dissacarídeos da glicose e sacarose) é o fator causador mais importante para a mudança.
    • Os hábitos de comer e beber devem ser investigados para avaliar a quantidade e a frequência da exposição. O ideal é que isso seja feito por meio de um diário alimentar de 3 ou 4 dias, que aliste todas as ocasiões em que a pessoa comeu e bebeu.
    • Sempre que possível, devem ser reduzidos os açúcares que fazem parte da refeição e pode ser sugerido o aumento do consumo de frutas e vegetais como alternativa aos alimentos que contêm açúcar.
    • Deve ser incentivado o uso de substitutos do açúcar.
    • Devem ser minimizados os lanches entre as refeições.
    • Se houver obesidade na família, o encaminhamento a um nutricionista pode ser muito benéfico para todos.
  2. Controle o biofilme de placa dentária removendo regularmente da boca o máximo possível de bactérias acidogênicas/cariogênicas.
    • Incentive práticas frequentes e completas de higiene bucal, incluindo a escovação duas vezes ao dia com creme dental contendo fluoreto, uso regular do fio dental e uso de enxaguantes bucais contendo fluoreto ou agentes antibacterianos, quando necessário.
  3. Modifique o ambiente bucal para aumentar o potencial de remineralização.
    • Incentive o uso de goma de mascar sem açúcar para estimular a produção de saliva.
      • A saliva é o agente remineralizante principal, pois é supersaturada com o cálcio e o fosfato, e tem boa capacidade de tamponamento.
      • O aumento do fluxo de saliva ajuda a diminuir o tempo de depuração, reduzindo a duração da exposição a substâncias cariogênicas na cavidade bucal.