Dentalcare.com.br

Glossário

bactérias acidogênicasaquelas que têm a capacidade de produzir ácidos por meio de suas vias metabólicas. Em relação à cárie dentária, a principal bactéria acidogênica, ou produtora de ácido, é o Streptococcus mutans. Por meio do processo de glicólise, as bactérias acidogênicas decompõem os mono e dissacarídeos em ácido láctico. O ácido láctico difunde-se pelo biofilme da placa até atingir a superfície do esmalte, onde pode causar desmineralização, dependendo de outros fatores como a disponibilidade de agentes de tamponamento e a saturação com cálcio.

capacidade de tamponamentoA saliva e o fluido na placa dentária possuem capacidade de tamponar. O tamponamento ajusta o pH de qualquer solução, como saliva ou fluido da placa, e pode resistir a mudanças no pH. A capacidade de tamponamento é o grau de tamponamento que pode ser obtido.

cariogênicoA capacidade de causar cárie dentária. Uma dieta cariogênica contém açúcares. Algumas bactérias na placa dentária (S. mutans) são cariogênicas. A mera presença de açúcares cariogênicos ou bactérias cariogênicas não é suficiente para causar o início do processo de cárie. Muitos outros fatores desempenham um papel e, juntos, podem ou não contribuir para o processo que leva à cárie dentária.

tempo de depuraçãoO intervalo de tempo necessário para que qualquer substância seja depurada da boca pelo processo de secreção salivar e fluxo de saliva. Os fatores que afetam o tempo de depuração, além da vazão de saliva, incluem a forma e a viscosidade do item a ser depurado e o potencial de estimulação de saliva do item. Uma solução de glicose será depurada muito mais rapidamente do que uma bala pegajosa de caramelo.

pH críticoO pH no qual, e abaixo do qual, ocorre a desmineralização do esmalte. A pesquisa de Stephan e Miller demonstrou originalmente que esse pH crítico é de aproximadamente 5,5 (veja a curva de Stephan). Devido a outros fatores químicos, especialmente a saturação do ambiente imediato da superfície do esmalte em relação ao cálcio e fosfato, a presença de agentes de tamponamento e a disponibilidade de fluoreto, o pH crítico pode variar e é considerado entre 4,5 e 5,5.

desmineralizaçãoO processo químico pelo qual os minerais (principalmente o cálcio) são removidos dos tecidos duros dentais (esmalte, dentina e cemento). O processo químico ocorre por dissolução causada por ácidos ou por quelação, e a taxa de desmineralização varia com o grau de supersaturação do ambiente imediato do dente e a presença de fluoreto. Em circunstâncias ideais, os minerais podem ser substituídos por meio do processo de remineralização.

placa dentáriaUma comunidade organizada de muitos micro-organismos diferentes que assume a forma de um biofilme e é encontrada na superfície da língua e em todas as superfícies duras da cavidade bucal. Todas as pessoas têm placa dentária e ela pode variar, sendo constituído de micro-organismos totalmente saudáveis (comensais) até aqueles muito prejudiciais (patogênicos), predispondo o paciente a cárie ou doenças periodontais. Observação: A placa dentária não se trata de restos de comida, nem contém restos de comida. A placa dentária só pode ser completamente removida por meios mecânicos, como escovação ou profilaxia. Restos de comida podem ser removidos no enxágue.

carboidratos fermentáveisQuase todos os carboidratos da dieta podem ser decompostos e metabolizados por micro-organismos. Os mono e dissacarídeos (açúcares como glicose e sacarose) são metabolizados mais facilmente e, portanto, são os mais cariogênicos, visto que são metabolizados para produzir ácido láctico.

remineralizaçãoO processo químico pelo qual os minerais (principalmente o cálcio) são recolocados na substância dos tecidos duros dentais (esmalte, dentina e cemento). O processo exige um ambiente ideal que inclua supersaturação com íons de cálcio e fosfato e tamponamento adequado. A remineralização melhora na presença de fluoreto.

“Curva de Stephan” Um gráfico publicado por Stephan e Miller na década de 1940. O gráfico refletia a pesquisa de Stephan e Miller demonstrando a queda do pH na boca após um enxágue com glicose. Eles demonstraram que um pH de 5,5 ou menos pode resultar em desmineralização e que o nível de pH pode permanecer abaixo desse “nível crítico” por aproximadamente 20 minutos. O pH retorna aos níveis normais ou de repouso em cerca de 30 a 60 minutos.