Dentalcare.com.br

Conceitos Atuais em Odontologia Preventiva
Bebidas Adoçadas com Açúcar

Autor do curso: Connie M. Kracher, PhD, MSD

Bebidas Adoçadas com Açúcar

Refrigerantes, bebidas esportivas e energéticas contendo açúcar são populares nos EUA. Sabe-se que o consumo frequente de bebidas açucaradas contribui para a cárie dentária. Segundo os CDC, 63% dos jovens e 49% dos adultos consomem bebidas adoçadas com açúcar (BAA) diariamente. As bebidas BAA incluem: refrigerantes regulares, bebidas de frutas, bebidas esportivas, bebidas energéticas, águas açucaradas e bebidas de café e chá com adição de açúcar. Entre os jovens, o consumo de BAA é maior em meninos, adolescentes, negros não latinos ou jovens que vivem em famílias de baixa renda. Entre os adultos, a ingestão de BAA é maior entre homens, jovens adultos, negros não latinos ou mexicanos-americanos ou adultos de baixa renda. Em 2011, a American Academy of Pediatrics fez recomendações para que crianças e adolescentes não consumissem bebidas energéticas, pois podem prejudicar as crianças, especialmente aquelas em risco, como diabetes, convulsões, anormalidades cardíacas ou distúrbios de humor e comportamento. No entanto, estatísticas recentes dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) indicam que homens entre 18 e 34 anos consomem mais bebidas energéticas e quase 1/3 dos adolescentes entre 12 e 17 anos consomem regularmente bebidas energéticas. Os refrigerantes têm sido associados a condições clínicas como obesidade e diabetes tipo 2. Um refrigerante regular é feito de água gaseificada, adição de açúcar e sabores. Cada lata de refrigerante contém o equivalente a cerca de dez colheres de chá, ou 40 gramas, de açúcar. O Mountain Dew® é tão popular nos EUA que a frase cunhada “Boca Mountain Dew” é um termo reconhecido usado pelos cirurgiões-dentistas para pacientes diagnosticados com cáries e/ou erosões excessivas.

Um estudo publicado na General Dentistry, a revista clínica da Academy of General Dentistry (AGD), relatou um aumento no uso de bebidas energéticas e esportivas, principalmente entre adolescentes. Os pesquisadores conduziram um experimento de laboratório, onde expuseram amostras de esmalte de dente humano a 13 bebidas energéticas e esportivas diferentes e descobriram que as bebidas energéticas tinham o potencial de serem mais prejudiciais do que as bebidas esportivas após cinco dias. Mesmo que bebidas sem açúcar sejam consumidas para evitar cárie dentária, os ácidos nesses tipos de bebidas podem causar erosão do esmalte se consumidos cronicamente. Ouvimos a frase “tudo com moderação”. Como profissionais da área odontológica, precisamos orientar nossos pacientes sobre o consumo frequente de bebidas açucaradas e o potencial de cárie dentária. No entanto, pedir aos nossos pacientes que parem de beber sua bebida favorita parece irracional. Pedir aos nossos pacientes que consumam suas bebidas favoritas nas refeições e não durante o dia reduziria o número de ataques diários de ácido lático ao esmalte e cemento exposto.