Fraturas

As fraturas dos ossos faciais apresentam um problema ainda mais complexo. O local mais frequente de lesão óssea é o zigomático (maçãs do rosto). As fraturas do zigomático respondem por aproximadamente 10% das fraturas maxilofaciais observadas em lesões esportivas, ocorrendo como resultado de trauma brusco direto de uma queda, cotovelo ou punho.12 Em um estudo de Linn e outros, dos 319 pacientes tratados por lesões esportivas, os homens se mostraram mais propensos a fraturas zigomáticas do que as mulheres por causa dos poderosos contatos físicos durante os esportes.13 Como o zigomático, a forma proeminente e a projeção da mandíbula fazem com que ela seja frequentemente traumatizada. Aproximadamente 10% das fraturas maxilofaciais em atividades esportivas ocorrem na mandíbula quando o atleta bate em uma superfície dura, em outro jogador ou no equipamento. Em uma fratura mandibular, o manejo das vias aéreas é o aspecto mais importante do atendimento imediato.14 Em crianças e adultos, o côndilo é a parte mais vulnerável da mandíbula. As fraturas nessa região têm o potencial de resultar em deformidade facial de longo prazo. Dados recentes sugerem que as fraturas condilares em crianças podem alterar o crescimento da face inferior.11